Tag Archives: equilíbrio

O DESAFIO DE PEDIR E ACEITAR AJUDA

Estou lendo o livro “Mais forte do que Nunca” (em inglês, Rising Strong) da incrível Brené Brown. Tem sido uma ótima leitura neste período de fins e recomeços que tenho vivido.

Para quem não conhece esta escritora pesquisadora, procure no Youtube e Google e prepare-se para aprender sobre vulnerabilidade, culpa e vergonha de uma forma que você talvez nunca tenha pensado antes. Supeeerrr recomendo! Continue reading O DESAFIO DE PEDIR E ACEITAR AJUDA

Cupcakes Proteicos de Chocolate – Saciedade, equilíbrio e sabor!

Uma das minhas paixões é ir para a cozinha desenvolver novas receitas, usando o que eu tenho na despensa no momento. E neste dia, eu queria criar algo prático e que pudesse ser transportado facilmente para um lanche. Continue reading Cupcakes Proteicos de Chocolate – Saciedade, equilíbrio e sabor!

Crosta de Pizza de Couve-flor

Pizza de Couve-flor

Quem diria que couve-flor poderia ser um ingrediente maravilhoso para fazer uma crosta de pizza super saborosa e nutritiva?

Esta receita não leva farinha, fica pronta em alguns minutos e não precisa de ingredientes exóticos. Adoro quando uma receita leva poucos ingredientes,  como esta! Continue reading Crosta de Pizza de Couve-flor

Desapego gera leveza e liberdade

Nós temos o poder de escolher o que mantemos nas nossas vidas. Se não faz feliz, por que continuamos insistindo?

A prática do desapego é uma das mais poderosas (se não a mais poderosa) para gerar mais leveza e abrir espaço para que novas possibilidades se manifestem na sua vida.

Desapegar de coisas, roupas, objetos pode ser bem complicado para algumas pessoas. Quem não tem aquela roupa que acha linda, mas que não usa mais tanto assim? Ou aqueles objetos que estão esquecidos em algum lugar da sua casa, e que você pensa que talvez um dia vão ter alguma utilidade, mas já passaram 10 anos e você realmente nunca precisou deles? Continue reading Desapego gera leveza e liberdade

Faça mais daquilo que te faz feliz e dê menos ouvidos aos comentários alheios.

Estive pelo Brasil nas últimas duas semanas, e sempre que vou para lá, vou com meu modo “estudante aprendiz” ativado. Claro que estou sempre aprendendo aqui também, porém a mudança na rotina, as interações com pessoas diferentes e a própria localização me colocam  em um modo de observação mais intenso que o normal.

Além do momento incrível que vivi no encontro Ser Mulher, que realizei com a Gabi Squizato em São Paulo, passei alguns dias na presença da minha família, vi minha irmã se casando linda e feliz, e foi muito melhor do que matar a saudade, pois também trouxe muitos aprendizados de lá na “mala”, talvez simples porém cheios de significado para mim.

Um destes é o seguinte:

É saudável e positivo confiar na sua intuição e fazer aquilo que te faz feliz, mesmo quando todos (ou alguns) a sua volta acham isso uma bobagem ou um supérfluo.

Pode ser que você já esteja careca de saber disso, e não pareça nada de novo. Mas me permita aprofundar neste assunto.

Será que estamos realmente fazendo aquilo que nos faz feliz?

Ou estamos usando boa parte da nossa energia e do nosso tempo nos preocupando com o que os outros pensam, com o que achamos que os outros pensam, ou com o que as pessoas a nossa volta gostam de fazer, ou que aquela pessoa que você ama quer você faça, ou você até tenta começar algum projeto que vai te fazer feliz, mas se deixa levar pelos comentários negativos das pessoas a sua volta?

smiling-woman-on-bridge
Para ser mais feliz, se importe menos com o que os outros pensam!

Eu já me percebi dos dois lados desta situação. Sendo aquela que deixou de fazer o que queria por me conectar com a negatividade alheia, como também já fiz comentários desnecessários (sem maldade) sobre algo que estava fazendo outra pessoa feliz. E percebi algumas crenças bem limitantes quando observei este meu comportamento.

Geralmente isso acontece com aqueles mais próximos a nós, e com quem temos mais intimidade, e por isso achamos que podemos meter o bedelho e dar pitacos na vida dos outros. Não, não temos que dar pitacos sem ser requisitados. Se alguém perguntar a sua opinião, ok, aí seu pensamento pode ser compartilhado, porém dizer que alguém está sonhando demais, ou perdendo tempo, ou poderia fazer algo de outra forma (da sua forma), é desnecessário e nem um pouco positivo, nem para você que poderia estar melhorando algo na sua própria vida.

Outra reflexão que quero te convidar a fazer é a seguinte: quantas vezes ao dia você faz algo que te alegra e te faz sentir vivo e grato?

Você talvez se identifique com isso, talvez não.

Eu sou uma pessoa que sempre tive problemas em lidar com conflitos, daquelas que faz tudo para não entrar em uma discussão. E muitas vezes isto me prejudicou pois eu deixava de fazer o que eu queria para manter a harmonia do ambiente.

Claro que precisamos fazer negociações e concessões as vezes, pois somos seres sociais.

Estou falando aqui do quanto deixamos nossas vontades mais profundas de lado pelo simples fato de não querer desagradar outras pessoas.

E esta lição para mim é enorme, pois quanto mais eu faço aquilo que me agrada, aquilo que meu coração me pede, mas eu percebo que inspiro as pessoas a minha volta a fazer o mesmo. Quanto mais eu me dou espaço para ser eu mesma, mais eu permito que os outros se libertem também!

15895584015_fc57acb741_o

Aceitar que a minha vontade é importante  é auto respeito, é amor próprio e não egoísmo como somos ensinados desde crianças. Fazendo algo de coração, focando na amorosidade e no que a minha intuição me diz, eu canalizo a alegria e a positividade, pois faço algo que me traz prazer em viver, e isso reflete nas minhas conversas, ações e vai contagiando as pessoas que eu encontro de alguma forma.

Por isso, eu gostaria de convidar você a refletir hoje sobre os seus desejos, vontade e sonhos.

Se tem algo que nutre a nossa alma de verdade é fazer algo que nos traz prazer!

Não apenas ingerir uma dose de açúcar ou outra substância que dá uma “high” rapidinha e depois passa deixando aquela sensação de dependência. Você até pode comer um doce pensando na alegria do momento, usando todos sentidos e estando presente, porém não criar a expectativa de que o doce em si é a causa da sua alegria. Estou falando de alegria e prazer pela experiência do momento, de fazer algo que te faz sentir vivo!

O que você tem vontade de fazer, algo que sente que vai te deixar muito feliz, e que por diversos motivos, você vem deixando para depois?

Quais são estes motivos que te fazem procrastinar a sua própria alegria?

O que você tem colocado como prioridade na sua vida?

A vida está acontecendo agora, e só você pode se responsabilizar pelo que experiência e sente. Ninguém mais tem o poder de te fazer sentir melhor, então, pegue esta sua vontade e dê um jeito de fazê-la ser atendida!

Pode ser algo simples, como ir a um lugar que você quer conhecer na sua cidade. Ou talvez seja uma viagem a um outro país, e precise de mais planejamento.

O que quer que seja, procure refletir se você não está deixando a sua felicidade para depois. Nada é mais importante que você se sentir bem com você mesma.

Agora quero saber de você! Comente aqui embaixo o que você tem feito para realizar os seus pequenos e grandes sonhos, desejos simples e complexos, e que pensamentos vem a sua mente ao pensar nas questões acima.

Se gostou do texto, compartilhe com seus amigos. Eu sou muito grata pela sua presença e apoio para continuar compartilhando mensagens de nutrição para o corpo, mente e alma!

Até a próxima!

Um grande beijo!

Taísa

 

Crédito das Imagens: Visualhunt

Alimente Sua Vida – Mentoria em Grupo

Eu sinto que muitas pessoas desejam ter um estilo de vida mais saudável porém não sabem onde encontrar um espaço seguro e acolhedor onde possam falar dos seus desafios e ser ouvidas com atenção.

Pensando nisso, eu tenho desenvolvido a minha habilidade em orientar e possibilitar a conexão verdadeira em grupos de pessoas, gerando mais motivação e inspirando a mudanças positivas na alimentação, na forma com se trata e na forma como lida com os seus sentimentos. Continue reading Alimente Sua Vida – Mentoria em Grupo

Receita de Bolo de Cenoura com Cobertura de Chocolate – Versão com ingredientes mais saudáveis

A vontade de um bolo daqueles bem tradicionais bateu por aqui e lá fui eu para a cozinha praticar a meditação ativa: colocar a minha atenção no momento enquanto preparo algo delicioso e com amor!

Eu não conheço uma pessoa que não goste de bolo de cenoura com cobertura de chocolate! É um clássico! E com clássicos é melhor não brincar muito, não é? Maaasss…

Eu corri para um livro de receitas que eu escrevi todo a mão (deve ter mais de 50 receitas!!), e que sabia que tinha uma receita incrível de bolo de cenoura, tanto que o nome é: “O Melhor Bolo de Cenoura do Mundo”! Pode rir aí, mas eu falo sério, a receita é maravilhosa! Continue reading Receita de Bolo de Cenoura com Cobertura de Chocolate – Versão com ingredientes mais saudáveis

A geração em que a Cinderela perde o “tênis de cristal” na academia

Qual é o limite entre um estilo de vida saudável e a obsessão em ter um corpo “ideal”?

Existe algo muito triste acontecendo na mente de muitas meninas e mulheres. Enquanto outras mulheres que dedicam boa parte das suas vidas para ter um corpo “ideal”, mostrando uma aparente felicidade e equilíbrio, existem mulheres que sofrem pois acreditam que não são boas o suficiente, ou que não são bonitas o suficiente. Então começam as torturas em forma de dietas, auto-punição, sentimentos de culpa e vergonha, além de se desconectarem da sua verdade, do seu ser.

Claro que existem mulheres que vivem de verdade este equilíbrio, e talvez sejam magras ou malhadas, talvez elas já passaram por vários transtornos e agora tem uma relação mais positiva consigo mesmas. Eu acredito que é possível encontrar o prazer em um estilo de vida saudável e que seja positivo para o corpo, mente e alma. Eu, por exemplo, gosto de fazer atividades físicas e me alimentar bem, hoje isso é natural, mas nem sempre foi.

O que está em questão aqui, e que eu gostaria de convidar você a refletir é sobre a realidade por trás de todas fotos que as celebridades, atrizes, modelos e artistas postam nas mídias sociais. É uma avalanche de poses, barrigas de fora, dietas da moda, e acabamos formando uma imagem de que estas pessoas tem uma vida perfeita, e começamos a desejar o mesmo, pois as fotos e vídeos parecem mostrar um mundo maravilhoso, porém bem distante da realidade.

Elas são lindas sim, e tentam passar algo de positivo na maioria das vezes. Mas elas passam também a ideia que você só será feliz quando tiver uma barriga chapada, ou tiver as coxas definidas, ou estiver em um relacionamento. Será mesmo que precisamos das mesmas coisas para ser feliz? Será que estas mulheres são mesmo o que elas mostram? Será que as pessoas não estão percebendo que isto virou obsessão?

Eu sou completamente a favor de cuidar do seu corpo, de ser vaidosa e se sentir linda, mas eu não acredito que almejar ter o corpo parecido com o de outra pessoa seja saudável para ninguém. Parece que a nossa criança interior continua acreditando na história da Cinderela que perdeu o sapato de cristal no meio do baile para depois ser encontrada por um príncipe que a salva dos seus grandes problemas, porém agora não é mais um sapato de cristal e sim um tênis, o baile é a academia e talvez não seja o príncipe em um cavalo branco, mas a barriga chapada, o corpo malhado e o silicone que vai nos realizar e trazer a tão sonhada felicidade. Brincadeiras a parte, este assunto é muito sério, pois as crianças de 3 anos já estão desejando ter um corpo diferente por presenciar as suas mães comentando como estão acima do peso ou como precisam emagrecer. Precisamos mudar isso em nós agora.

42569f_9646f0bf423b41f4ad03b2ceb8627376 (1)

Cada um de nós tem o presente de ter um corpo único, que pode ser moldado pelas nossas escolhas sim, até certo ponto. Mas não podemos mais perder o nosso amor próprio por que não somos como a sociedade diz que temos que ser.

Eu convido você a olhar para o seu corpo com mais amor e gratidão e fazer o possível para não se comparar a ninguém. Experimente olhar para outras mulheres sem julgar os seus corpos. Admire a beleza que há em cada biotipo se quiser, mas entenda que você é maravilhosa e linda do seu jeito!

Seu corpo é sim o seu templo e merece todo o seu respeito.

Além disso, a sua essência faz morada no seu corpo, ou seja, ele é apenas o revestimento, o seu valor não está no seu peso ou medidas, está em quem você é, e você é uma filha do Universo!

Você tem uma luz que veio para brilhar e inspirar outras pessoas a brilhar também!

Ame-se com toda a sua força!

Um beijo grande,

Taísa

Soja: um alimento aliado ou perigoso para a saúde?

Sob a visão da nutrição integrativa é importante ressaltar que um alimento pode ser benéfico para uma pessoa e um veneno para outra. Este é o conceito da bioindividualidade, afinal, cada indivíduo carrega informações da sua genética, cultura, vida social, valores, crenças e hábitos que influenciam nas suas necessidades nutricionais.

Ao falar sobre um assunto tão polêmico como a soja, em que pontos de vistas totalmente opostos podem ser comprovados cientificamente, quero deixar claro que recomendo sempre que cada pessoa verifique se qualquer informação faz sentido para si e procure orientação profissional quando necessário.

A soja é um grão originário do Leste Asiático, e começou a ser utilizado na culinária Chinesa, depois se espalhando pelos outros países da região. Faz parte da família das leguminosas, assim como os feijões, lentilhas, ervilhas e grão-de-bico.

Por um lado podemos considerar o seu valor nutricional, já que é uma fonte de proteína vegetal, fibras, vitamina K, cálcio, magnésio e ferro. Porém, devemos lembrar que a soja possui naturalmente isoflavonas, ou fitoestrogênios, compostos proteicos que tem ação muito similar ao estrogênio, hormônio em que a produção é maior em mulheres e naturalmente bem menor em homens.

Hoje em dia muitas mulheres sofrem com sintomas de TPM, cólicas, ovários policísticos e outros distúrbios, e a maioria já fez uso de algum anticoncepcional, o que significa que podemos estar com excesso de estrogênio no nosso corpo, devido as alterações hormonais causadas pelo nosso estilo de vida, como explica a coach especialista em saúde feminina Melissa Setúbal. Então além destes excessos, imagine se consumirmos um alimento regularmente que pode aumentar ainda mais a produção de estrogênio?

Também podemos lembrar que as mulheres em idade próxima a menopausa sofrem uma queda na produção deste hormônio, e neste caso poderiam se beneficiar do consumo da soja, também pensando na origem, método de produção e quantidade.

Outro fato importante a ser considerado é que a maior parte da soja cultivada no Brasil e no mundo (mais de 90%) hoje é transgênica, modificada geneticamente para aguentar a os agrotóxicos mais potentes, como o Roundup (que pode causar câncer e Autismo segundo alguns estudos). E se o agrotóxico visa matar microorganismos e insetos, como podemos ter total segurança de que ele não está nos matando lentamente, não é mesmo?

Além disso, praticamente todos produtos industrializados contém soja como ingrediente, o que aumenta ainda mais o consumo diário desta leguminosa para a maioria da população. Até a maior parte das barras de chocolate e doces contém lecitina de soja, utilizada para manter a consistência por mais tempo.

E quem tem escolheu uma alimentação vegetariana, pode usar a soja para substituir o leite e a carne?

Muitas pessoas que substituem o leite de origem animal pelo leite de soja o fazem acreditando ser uma boa troca. Porém considerando que a soja é  altamente processada e perde grande parte do seu valor nutritivo, acentuando ainda mais o seu teor em isoflavonas (fitoestrogênios), é interessante pesquisar outras alternativas de leites mais nutritivos e com menos efeitos negativos a saúde. Os leites feitos em casa, como os de castanha-de-caju, leite de coco, leite de amêndoas (clique aqui para ver a receita), por exemplo, são muito mais benéficos pois mantém as suas propriedades, são ricos em cálcio e em outros nutrientes pois não são ultraprocessados.

Quem adota uma alimentação vegetariana ou vegana precisa encontrar fontes de proteína vegetal para substituir as carnes, e a soja aparece de várias formas neste tipo de cardápio. A proteína isolada de soja é muito utilizada pelo seu alto teor de proteína, porém este alimento é ultraprocessado, a proteína é isolada ao máximo, não fica mais nada, e além de perder muitos dos seus nutrientes pode piorar ou causar problemas digestivos, gases e distúrbios intestinais. Ao invés de fazer da soja o “bife” diário, é possível variar com outras fontes, como as outras leguminosas (feijões, lentilha, grão-de-bico), com castanhas e sementes, e vegetais crucíferos como o brocólis e a couve-flor. Além disso vale lembrar que quanto maior a variedade dos alimentos, maior será a ingestão de nutrientes, e não é preciso ficar contando as gramas de proteína,  e sim equilibrar as refeições com uma porção de cada grupo alimentar.

Ainda assim, as formas mais seguras de consumir a soja seriam utilizar os seus derivados como o missô, o molho shoyo, tofu e tempeh, que são provenientes de um processo de fermentação dos grãos de soja e podem ser consumidos em pequenas quantidades, como na culinária asiática tradicional.

Também é indicado procurar sempre os produtos orgânicos e com o selo indicativo de “não-transgênico”.  Além disso, para as mulheres em idade fértil convém consumir os derivados de soja no período de 10 dias após a menstruação, quando os níveis de estrogênio voltam a cair.

Concluindo, a soja pode trazer seus benefícios para as mulheres que estão entrando na fase da menopausa se for utilizada com moderação e muita consciência quanto a origem.  O ideal é procurar orientação profissional para identifcar as possibilidades de cada caso. Para todas as idades, o ideal é buscar os alimentos menos processados possíveis, orgânicos e não transgênicos, devido ao desequilíbrio que estas substâncias podem causar ao nosso organismo, como menor absorção de nutrientes, desregular o equilíbrio hormonal e até causar doenças mais graves como câncer.

Espero que estas informações sejam úteis para que você reflita sobre as suas escolhas alimentares. Como sempre, não acredito que um alimento seja completamente bom ou ruim, depende da quantidade, de cada pessoa e de como este alimento é ingerido.

Um artigo interessante para quem quiser aprofundar no tema:
http://authoritynutrition.com/is-soy-bad-for-you-or-good/

Como Eu Mudei a Minha Relação de Dor para Amor com o Espelho

Hoje eu tenho uma relação muito saudável e prazerosa com o espelho, eu me vejo com outros olhos e também percebo quando preciso me cuidar com mais amor.
As vezes não estou muito a fim de conversa com ele, mas na maioria das vezes, nos damos muito bem. Tenho oferecido meus sorrisos muito mais para ele ultimamente, e em troca, ele me diz o quanto eu tenho melhorado, ou o quanto eu preciso beber mais água ou comer mais vegetais (pausa para dizer que eu acredito nele).
Mas nem sempre foi assim. Por boa parte da minha vida, eu não queria saber do espelho… eu tinha até medo dele… de verdade.

Continue reading Como Eu Mudei a Minha Relação de Dor para Amor com o Espelho