Como eu venci a preguiça e fiz da atividade física algo essencial no meu estilo de vida.

Quem me conhece há algum tempo sabe o quanto gosto de me exercitar. Quando não consigo fazer meus treinos com certa regularidade meu humor e minha energia começam a dar sinais de que preciso me mexer de alguma forma. Hoje, fazer atividades físicas como corrida, musculação e Yoga é algo que me dá muito prazer e me faz sentir bem.

Mas nem sempre foi assim. Para falar a verdade, a minha relação com a academia foi cheia de altos e baixos. Vou contar um pouquinho de como foi antes de eu realmente tomar gosto por mexer o corpitcho. Pode ser que você já passou ou venha passando por uma situação parecida agora, então leia com calma pois vou contar como venho vencendo a prequiça e mantendo o hábito de me exercitar como um ato de amor próprio.

Essa é a minha história pessoal. Não quero convencer ninguém a entrar na academia, até porque musculação é apenas uma opção dentre várias. Sou mega a favor de qualquer atividade física e esportes, como natação, futebol, dança, ciclismo, caminhada, Yoga, Pilattes, a lista é interminável. O importante é entender a importância do exercício nas nossas vidas.

Você provavelmente já ouviu falar dos benefícios cientifícamente comprovados das atividade físicas, então porque é tão difícil começar e manter algo que nos faz tão bem?

Na minha opinião, só mantemos um hábito depois que SENTIMOS de verdade o quanto ele nos proporciona bem-estar.

Tudo começou no ensino médio, eu tinha a opção de fazer ginástica aeróbica e como eu adoro música e queria me movimentar de alguma forma, lá fui eu. Era super divertido e eu sempre saía da aula com um astral maravilhoso. Durante os três anos em que fazia a ginástica, nunca tive problemas com peso, e eram apenas 2 vezes por semana. Eu era bem ativa e fazia longas caminhadas com uma amiga pelo mens 3 vezes por semana.

Proximo aos 18 anos entrei na academia pela primeira vez. A musculação deu um resultado muito rápido e eu não queria ficar musculosa. Lembro que até o instrutor ficou supreso quando mostrei meu braço para ele e ele disse para eu diminuir os exercícios. Depois de 3 meses parei e resolvi continuar fazendo minhas caminhadas e deixar a academia de lado, até porque estava sendo muito cansativo. Provavelmente eu estava exigindo demais do meu corpo naquela época e não sentia prazer em estar lá. Aqui vale lembrar uma coisa, nunca comece uma atividade física mais elaborada sem o apoio de um bom profissional, e pesquise bem antes de se ingressar em qualquer academia.

Com 19 anos eu ingressei na universidade, então lá ia eu bem feliz até a aula, caminhando 30 minutos todo santo dia para ir, e mais 30 para voltar, subindo as “colinas” da minha cidade natal. As perninhas agradeciam! Quem precisava de academia com os morros da minha cidade querida?! E era de graça!!

Experimente fazer da caminhada o seu momento de reflexão. Você pode organizar sua semana, pensar sobre o que vem dando certo e que precisa ser feito na sua vida. Ou melhor ainda, pode ser o seu momento de meditar! Apenas agradeça tudo que vem acontecendo e deixa a mente livre, respire e preste atenção na sua respiração. Esta prática vai ajudar muito a controlar a ansiedade e a deixar a sua mente um pouco mais “quieta”do que o normal.

Porém no segundo ano de faculdade eu trabalhava o dia inteiro, estudava todas as noites e troquei as caminhadas pelo carro, o que veio a calhar pois eu precisava estar arrumadinha, de preferência de salto para trabalhar no banco. No começo eu até tentei ir caminhando mas não deu muito certo, os dias mais amenos de verão marcavam 35ºC no termometro rsrs. Hoje percebo como essa mudança impactou minha saúde, pois de pessoa ativa passei a trabalhar sentada por horas e não fazer nenhum exercício.

A minha alimentação foi ficando cada vez pior, eu tinha pouco tempo e não sabia naquela época que preparar comida em maior quantidade e fazer marmitas seria uma opção bem melhor que almoçar todo dia na padaria na frente do meu trabalho. Então eu ficava 5 ou 6 horas sem comer e me abastecia na cantina na universidade com um risólis bem gordo e um café. E isso muitas vezes era a minha janta!! É, quem me viu e quem me vê rsrs!

Nessa época eu esqueci o quanto eu gostava de ser ativa. Minhas prioridades mudaram, mas os efeitos colaterais não demoraram a aparecer. Até que percebi que eu tinha que fazer algo para mudar, pois além dos 15kg quilos a mais, eu me sentia sem energia, sempre cansada e, com muita frequência, de mau-humor. Também comecei a desenvolver depressão. Sem falar que eu caía de sono nas aulas quando meu corpo e mente não aguentavam tanta pressão.

Percebi que eu teria que me comprometer de alguma forma com a minha saúde, e a solução que eu encontrei foi me matricular numa academia perto de casa. Pagando eu teria que ir, senão seria dinheiro colocado fora, quem conhece essa história? Organizei meus horários de uma forma que eu pudesse treinar pelo menos 2 vezes por semana. Comecei devagar e não foi nada fácil. Lembro que eu tinha que ir direto do trabalho pois se eu fosse para casa eu nao ia para a academia, a preguiça e o cansaço eram grandes. Mas eu tinha um objetivo e eu sabia que precisava fazer um esforço.

Dessa vez fui a academia direitinho por 6 meses. Os primeiros 2 meses me exigiram um esforço mais mental do que físico pois eu dizia para mim mesma o quanto aquilo iria me beneficiar. A partir do 3º mês comecei a ver resultados e a motivação foi ficando mais forte. Porém, a faculdade apertou e com mais trabalhos e provas eu acabei parando novamente. Mas eu sabia que seria temporário dessa vez.

Eu podia ter desistido e dizer que não era para mim. Eu podia pensar que eu simplesmente teria que aceitar a sina de olhar para o espelho e não me reconhecer. Minha auto-estima parecia estar legal, por fora eu estava bem, mas por dentro não, eram duas imagens diferentes. A minha saúde estava em último lugar nas minhas prioridades, e isso é “pedir por escrito” para ficar doente. E comecei a perceber que as pessoas que faziam atividades físicas estavam, na sua maioria, mais alegres e dispostas, enquanto as pessoas mais sedentárias viviam com stress e ficavam doentes com mais frequência. Trabalhar na área financeria me possibilitou fazer estas comparações, a pressão e o stress do ambiente profissional á algo que afeta profundamente a maioria das pessoas, e muitas não percebem o quanto isso é prejudicial para a qualidade de vida delas. E eu entendi que eu não queria esse tipo de vida para mim.

Dessa vez algo mudou na minha mente. Talvez por já estar tanto tempo tentando, talvez pelo corpo físico e mental estar sedento desse amor-prório. Voltei a mesma academia, sabendo que agora eu iria fazer daquilo um hábito. Fui aprendendo a gostar de novo de me movimentar, de fazer minhas células trabalharem mais, meu organismo como um todo foi sendo reativado. Mesmo depois de um dia cansativo, eu não pensava muito e ia, e a sensação de prazer e realização depois do treino eram maravilhosas. Meu apetite começou a normalizar, senti o stress indo embora e o sono melhorando.

Outros resultados que percebi foram em relação a minha disposição e bom-humor. Eu estava bem mais alegre, mais aberta e confiante, mais ativa em relação a vida. Aí comecei a ver meu corpo mudar também, e aos poucos fui melhorando a forma de como eu via ele. Vendo e sentindo tudo isso acontecer, como eu poderia não gostar de me exercitar?

Essa guinada de “não treino por mais que 3 meses” a “não fico sem treinar mais que 3 dias” foi um longo processo para mim. Depois de muitas idas e vindas, hoje percebo o quanto isso me faz bem. Nos últimos 2 anos não fico sem fazer qualquer exercício, jogo tênis e faço corrida ao ar livre quando o clima permite. No inverno vou para a academia, faço yoga e patinação.

Pode ser que você tente várias vezes e não dê certo, você vai sentir preguiça, ou vai achar tudo mais interessante que ir fazer esteira por 30 minutos. Mas lembre que você poderá experimentar outras opções, e se não tentar, nunca saberá se gosta ou não.

Pense que todos os seus músculos, órgãos, nervos, todas as células do seu corpo vão se beneficiar disso, certamente o seu humor vai melhorar, a sua confiança e auto-estima subirão automaticamente pois você estará cuidando de você, e você vai melhorar a oxigenação do seu cérebro, beneficiando qualquer trabalho mental ou estudo que você esteja fazendo.

Se você quer ver resultados reais, é  preciso se colocar como sua prioridade. Amor por você mesma é fundamental. Ninguém tem esse poder, só você pode escolher o que é bom para você!

Acredito que podemos repensar os nossos conceitos sobre atividades físicas. Quem disse que você precisa ficar 1h ou 2h para poder ver resultados? 20 min 3x por semana é muito melhor que 1h por semana em um dia só. E não precisa começar querendo compensar o atrasado, respeite o seu ritmo e o seu corpo. Não vá correr querer correr por 1h se você não está treinando para isso.

Sem falar que a boa e velha caminhada é sempre uma boa opção para começar. Ela ajuda a diminuir os níveis de stress, contribui para a qualidade do sono, ajuda a diminuir a presssão arterial e ajuda na manutenção do peso.

Ficou com vontade de começar um exercício novo amanhã? Vai, mas dessa vez vá sabendo que você está proporcionando o seu próprio bem-estar. E quando bater a preguiça, lembre que você terá de 7 a 9h para ficar deitada na sua cama toda noite, até o fim da sua vida! Acho que basta né!

Beijos e até a próxima!

Ps.: Se você está precisando de uma motivação a mais para começar a prática de atividades físicas regularmente, participe do desafio Energymodeon! Somos um grupo de mulheres de todos cantos do mundo, conectadas pelo desejo de mais saúde e qualidade de vida, além de claro melhorar a nossa performance em qualquer esporte ou modalidade de movimento. Para saber quando começa a próxima fase, escreva para contato@taisabohrer.com.

2 thoughts on “Como eu venci a preguiça e fiz da atividade física algo essencial no meu estilo de vida.

  1. Ta, a sua história é muito parecida com a minha e com a de muitas pessoas que conheço. Obrigada por dividi-la conosco! Saber que pessoas com as mesmas dificuldades que a gente conseguiram superar os obstáculos é um super estímulo para corrermos atrás dos nossos objetivos também. 🙂
    Seu trabalho e é lindo!
    Beijo cheio de carinho,
    Milena

    1. Mi querida! Gratidão pela visita aqui e por deixar seu comentário. É muito legal saber que passamos por situações semelhantes, por isso nos entendemos tão bem, rsrs. Pode ter certeza que você me estimula e inspira muito a seguir superando estas dificuldades sempre!! Vamos juntas!
      Beijo grande flor!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *