A Ansiedade, a Comida, os Sentimentos e a sua Mente

Vou dizer algo que pode doer, talvez você não queira continuar a sua leitura, e eu vou entender, continuamos amigas tá?

Nós, seres humanos, tentamos controlar TUDO a nossa volta.

Tentamos controlar as mais diversas situações pois acreditamos que podemos. Tentamos controlar como a nossa vida profissional deveria ser, como a nossa relação amorosa devia estar, como nossos filhos deveriam se vestir, como a mãe deveria falar, como a irmã deveria se comportar e no fim do dia estamos exaustas sem saber por quê. Reclamamos que estamos sem energia e cansadas, sem perceber que doamos a nossa energia para situações em que não há uma troca positiva.

Nos iludimos pensando que é possível fazer tudo acontecer como desejamos. E como não aceitamos isto, criamos outra forma de controle: a necessidade de controlar o peso e a alimentação com toda rigidez possível.

Então você começa uma jornada de dietas, contagem de calorias, pesagem diária, evitar isso e aquilo, comer mais disso e daquilo, e até remédios para suprimir o apetite, com o propósito de controlar como a sua imagem física será. Só que é insustentável viver assim!

Conhecemos bem esta história. A pessoa emagrece por um tempo, e o peso volta ainda mais rápido depois. Alimenta-se bem por um tempo, e na primeira ou segunda situação de ansiedade ou um imprevisto aparece, avança em qualquer coisa que possa ser mastigada, e come muito mais do que o estômago aguenta E a pessoa desanima, pois pensa que tem algo de errado com ela. Mas não tem nada de errado com ela, e sim com a forma como ela vem se relacionando com seus sentimentos, com o seu corpo e com a comida.

Eu sei o quanto é normal desanimar, os dias não todos iguais e nós não somos seres constantes, e nem precisamos ser.  E também podemos escolher mudar a qualquer momento.

Você não precisa viver tentando controlar o seu peso ou a sua comida, e eu vou te falar a seguir alguns passos que podem te ajudar a perceber que isso é possível!

Como eu posso diminuir a minha vontade de comer quando estou ansiosa?

Eu não tenho a fórmula exata que vai funcionar para todo mundo, afinal cada indivíduo é único, como eu sempre falo, eu respeito e considero a bio individualidade de cada um sempre.

Mas tem algo que vem funcionando muito bem para mim e para muitas pessoas quando o assunto é COMER POR ANSIEDADE, e que de acordo com os estudiosos e especialistas que acompanho, e que pode fazer uma grande diferença na sua vida também.

O PASSO MAIS IMPORTANTE DE TODOS

Uma grande trasnformação pode começar com este passo, por isto preste muita atenção no que você vai ler.

É necessário aceitar o seu corpo como ele é e acreditar que não precisa emagrecer para só então ser feliz.

A sua felicidade não precisa estar condicionada a sua aparência física.
Aceitar que o seu corpo neste momento é o resultado das suas escolhas alimentares e de estilo de vida, mas também é o resultado de como você se sente quanto a ele, é libertador na verdade.

Isso não significa que você não pode mudar o seu corpo ou o seu peso, ou que não precisa ter uma alimentação equilibrada e adequada as suas necessidades de saúde.
Você sempre pode querer melhorar sua aparência, mas a partir do amor que você tiver por você mesma, e não do ódio pelo seu corpo.

amo-meu-corpo-612x300

Tudo que você vem pensando sobre o seu corpo há anos pode ter influenciado no seu corpo de hoje. Mas veja que boa notícia!! Você pode mudar a forma como sente e pensa sobre o seu corpo e com isso mudar o seu futuro!
Eu não vou entrar em detalhes neste assunto pois não é o foco de hoje, mas se quiser saber mais sobre o como, deixe um comentário ou escreva para contato@taisabohrer.com.

Depois que você deixar as dietas de lado, e entender que pode comer com prazer, tudo ficará mais leve e muito mais fácil. Não acredite em mim, experimente por você mesma e observe.

A PRESENÇA E OS SENTIMENTOS

Eu mesma, ontem a noite, tive um momento de muita ansiedade, pois estava resolvendo algo bem importante, e que não estava acontecendo como eu tinha planejado. E isso que eu havia meditado pela manhã.

Minha mente queria controlar a situação, mas eu não conseguia e isso gerou medo, frustração, e outros sentimentos confusos. O meu corpo começou a dar sinais como se eu estivesse em “perigo” e precisasse agir com rapidez.

Minha respiração ficou ofegante, a dor de cabeça veio, meu peito ficou apertado e começou a doer. A ansiedade bateu forte e eu tentei respirar, tentei focar no presente, mas mesmo assim minha mente pediu comida para acalmar. O corpo pede energia e a comida é a fonte mais “rápida” e acessível de se conseguir isso, pelo nosso instinto de sobrevivência entrar em cena quando a ansiedade e o medo dispara.

Eu relutei mentalmente algumas vezes, mas observei que já fazia 3h da última refeição e pensei em qual seria a melhor escolha possível, já que a vontade de comer era enorme. Eu queria mastigar algo, não era fome, eu sabia disso, pois meu estômago não estava pedindo por comida. Era a mente que precisa de algo para controlar e estava enviando sinais para o corpo como se precisasse de alguma fonte de energia.

Por “sorte”, que eu chamaria de organização, eu tinha cookies saudáveis feitos com cacau e muita aveia (ingrediente que ajuda a acalmar), e eles foram a minha escolha. Nessas horas você entende por que é bom ter alimentos saudáveis em casa, feitos por você de preferência.

doces11

Eu já tive crises de ansiedade muito fortes no passado, em que eu poderia comer um pote de sorvete quase inteiro ou um bolo inteiro de uma vez só, e ficar me sentindo um lixo depois, me culpando por ter feito isso. Hoje, depois de muita prática, terapias, estudos e autoconhecimento, eu consigo não deixar as emoções tomarem conta completamente. Mas sou humana e nem sempre funciona 100% como eu desejo.

Eu coloquei três cookies em um prato, me sentei, dei uma mordida em um cookie e fui mastigando devagar, e tentando focar minha atenção no sabor do alimento. Aquilo me ajudou por alguns minutos. Consegui respirar melhor e me senti um pouco mais calma. Respirei fundo algumas vezes e mandei toda tensão embora, mas ela teimava em ficar.

Então eu comecei a me questionar:
  • O que eu estou sentindo agora?
  • O que eu realmente preciso para ficar calma?
  • Existe algo que eu possa fazer para me sentir melhor de verdade?

E as respostas vieram, e eu fui ouvindo o meu corpo, e aceitando os sentimentos que estavam presentes.

Eu precisava apenas voltar para mim mesma e identificar o que estava sentindo.

Eu encarei a frustração, a decepção, a vergonha e a culpa de frente, e não ignorei elas, como eu fazia antes de aprender sobre a alimentação consciente. Quando você encara seus sentimentos, algo mágico acontece, eles não te machucam, pelo contrário, eles trazem um certo nível de cura.

E você não vai procurar a comida para anestesiar nada, pois percebe que não precisa.
Eu senti que o pedido por comida era da mente, mas que eu não tinha necessidade de obedecer a ela e não precisei comer o terceiro cookie.

A ansiedade foi passando, meu peito foi ficando mais leve, e minha cabeça parou de doer.
Eu resolvi o que eu queria resolver, com paciência, e muita atenção no presente. Em alguns momentos fiquei irritada sim, mas percebi que alguns sentimentos precisam sair de algum jeito. Percebi que só com muita prática, autocompaixão e presença é que eu posso expressar meus sentimentos de uma forma mais leve e sem magoar quem estiver a minha volta.

Por isso, lembre que você não está mudando apenas a forma como alimenta o seu corpo, mas sim aprendendo a facilitar esta conexão entre CORPO – SENTIMENTOS – MENTE – CONSCIêNCIA e com isso VIVER COM MAIS EQUILÍBRIO e tomar decisões de forma mais consciente e presente

Tornar nosso corpo mais leve é uma forma de facilitar que a energia dos sentimentos flua e não fique estagnada gerando doenças dores. Sob o ponto de vista da saúde integral e holística, todas as dores e doenças surgem de um desequilíbrio originado no nosso campo emocional, que gera uma certa energia, e que quando não é liberada, esta energia se aloja no corpo físico.

Somos humanos, sentimos mil coisas diferentes em um mesmo dia, e precisamos aceitar que as vezes saímos do eixo, e tudo bem, só precisamos saber como voltar. Você talvez tenha dificuldade agora, mas eu também já tive e aprendi, e sei que você pode aprender se quiser.
Se alimentar com consciência não é fazer dieta, é um ato de amor próprio.

Lembre-se que você não precisa emagrecer para ser feliz consigo mesma.

Você pode sim entrar em um processo que te ajude a criar hábitos mais positivos, em que vai dando um passo por vez e por consequência o seu corpo muda, sua saúde mental, emocional e física melhora e se transforma através das sua escolhas.

Se você gostaria de fazer as pazes com o seu corpo, sente que precisa de apoio para saber como fazer escolhas positivas para a sua alimentação de corpo, mente e alma, quer viver com mais leveza e equilíbrio, aceitando e amando quem você é de verdade, eu te convido a participar de um dos meus grupos de coaching em que estarei compartilhando ferramentas, conhecimento e toda minha experiência com muito amor.

Escreva para contato@taisabohrer.com e saiba como podemos caminhar juntas nesta jornada de autoconhecimento e despertar da sua consciência para a sua verdadeira beleza!
Gratidão por ler este texto e por estar me acompanhando!
Um grande beijo!
Taísa

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *